Quais as novidades da nova etiqueta energética?

  • Escala de classes de eficiência energética

    A escala de classes de eficiência energética é o elemento central da etiqueta. Na nova etiqueta a escala regressa à nomenclatura de A a G. As classes A+, A++ e A+++ já não serão utilizadas. A escala de cores não será alterada, uma vez que é facilmente reconhecível e utilizável pelo consumidor.

  • Código QR

    A informação técnica que acompanha os produtos abrangidos pela regulamentação de etiquetagem energética, etiqueta energética e ficha de produto, serão disponibilizados ao público na Base de Dados de Produtos Europeia, EPREL.
    Estas informações estarão acessíveis diretamente no site da União Europeia, bem como através da leitura do código QR incluído na etiqueta energética.

  • Pictogramas

    A maioria dos pictogramas da etiqueta antiga serão mantidos na nova versão. No entanto, alguns foram ligeiramente adaptados e outros foram introduzidos recentemente (por exemplo: eficiência energética no modo grande alcance dinâmico (HDR) para TVs e monitores; tempo de lavagem para máquinas de lavar; etc.).

  • Consumo de energia

    O consumo de energia dos produtos é apresentado de maneira mais proeminente na seção central da etiqueta. O consumo é apresentado em kWh por ano, kWh por 1000 horas ou kWh por 100 ciclos, dependendo do grupo de produtos.

Considerações adicionais

No momento da introdução das novas etiquetas, a 1 de março de 2021, não haverão produtos classe “A” disponíveis no mercado. As classes de eficiência energética foram estabelecidas de forma a reservar espaço para a evolução tecnológica futura e desenvolvimento de produtos ainda mais eficientes.

Aquando da entrada em vigor das novas etiquetas energéticas os produtos mais eficientes no mercado serão de classe B ou C, dependendo do grupo de produtos e da evolução tecnológica que possa decorrer desde a publicação dos regulamentos e da sua entrada em vigor.

A escala de eficiência energética de A a G será constante, ou seja, não haverá qualquer acréscimo de classes “+”no futuro. Para evitar alterações na escala, os critérios de atribuição das classes de A a G serão revistos regularmente, de acordo com o desenvolvimento tecnológico e do mercado.

Durante um certo período, até dezembro de 2021, serão permitidas algumas exceções à aplicação da nova etiqueta energética. É o caso de produtos já existentes no mercado antes da entrada em vigor da nova legislação, dos quais não sejam produzidas novas unidades após a entrada em vigor da nova etiqueta, ou cujos fabricantes tenham cessado a sua atividade. Estes eletrodomésticos e TVs serão escoadas pelo mercado gradualmente, devendo ser vendidos por um período de 9 meses após Março de 2021, ainda com a etiqueta antiga.

Para os produtos cuja etiqueta energética só vai ser revista a partir de 2022 (por exemplo, ar condicionados, fornos ou aquecedores, etc.), as etiquetas atuais com classes A+ ainda serão utilizadas e apresentadas em lojas.